A redação

O Atlético encara o Grêmio nesta quarta-feira (30), às 21h50, na Vila Capanema, pela primeira partida das semifinais da Copa do Brasil. Confira os pontos fortes do Tricolor gaúcho, pelos quais o Furacão terá de passar para avançar pela primeira vez à final do torneio que dá vaga na Copa Libertadores:

1 – TRADIÇÃO

A diferença no retrospecto entre as equipes é enorme. Enquanto o Tricolor gaúcho ergueu a taça em quatro oportunidades (1989, 1994, 1997 e 2001), o Rubro-Negro nunca chegou tão longe como na atual edição.

Mas, assim sendo, o Atlético ainda está invicto em semifinais da Copa do Brasil.

Esquece. Próximo item.

2 – PÊNALTIS

O Grêmio tem uma arma poderosa caso o confronto seja decidido nas penalidades máximas. Mesmo aos 40 anos de idade, o goleiro Dida mantém acesa a fama de pegador de pênaltis que o consagrou ao longo da carreira. Essa vantagem se acentua quando percebemos que do lado do Atlético existem batedores desqualificados como Paulo Baier (maior artilheiro da era pontos corridos) e Ederson (artilheiro da série A), com baixíssimos índices de gols marcados em suas carreiras. Além disso, o goleiro Weverton não faz frente ao craque da meta gremista apesar de estar na frente dele no troféu Armando Nogueira e no ranking da Bola de Prata.

3 – RECUPERAÇÃO

Uma vitória sobre o Atlético seria a melhor maneira para o Grêmio se recuperar da goleada sofrida para o Coritiba, no domingo, pelo Brasileiro. O placar de 4 a 0 ainda está engasgado no Tricolor, que perdeu a vice-liderança do Nacional para o Botafogo. Situação muito diferente da do Atlético, que vem de uma boa sequência de resultados e não vê seu lugar na classificação ameaçado, uma vez que está na liderança isolada da competição com 136 pontos de vantagem para o segundo colocado.

4 – FILA

Apesar do investimento pesado na montagem do elenco de 2013, o Grêmio vem decepcionando na temporada. Viu o rival Internacional vencer o Gauchão e foi eliminado nas oitavas de final da Libertadores pelo colombiano Independiente Santa Fé. Situação completamente diferente da do Atlético. Investiu pouco no futebol e venceu a Marbella Cup. A torcida já cansou de gritar “é campeão” este ano e é visível a desmotivação para vencer um campeonato tão irrelevante quanto a Copa do Brasil.

Pior: o time gaúcho vive um longo jejum de conquistas nacionais. A última foi na própria Copa do Brasil, em 2001. São doze anos sem comemorar, o que aumenta a ‘fome’ diante do Atlético. Situação, esta, também completamente oposta à do Atlético, que comemorou um título nacional muito mais recente, em dezembro de 2001, há apenas… 12 anos.

5 – CONFRONTO DIRETO
Grêmio e Atlético já se enfrentaram duas vezes neste Nacional, mas isso não quer dizer que o resultado do duelo da Copa do Brasil não possa influenciar na campanha do outro no campeonato. Uma eliminação sobre o adversário pode resultar em uma vantagem mental para as últimas rodadas do Brasileiro, ainda mais com Goiás e Vitória colando no G4. Ou seja: vantagem do Grêmio, que é o único interessado em ter uma VANTAGEM MENTAL (repito, VANTAGEM MENTAL) sobre o Atlético.

6 – FILHA GOSTOSA

O treinador Renato Gaúcho tem uma filha gostosa e leva vantagem sobre Vagner Mancini, que possui um filho feio pra cacete. Com a presença da beldade em campo para acompanhar a partida, os jogadores do Atlético podem se desconcentrar. Enquanto isso, os jogadores gaúchos (que não se sentem atraídos por esse tipo de fator) poderão jogar mais focados.

Anúncios