A redação

Interrompemos nosso noticiário esportivo para dar uma triste notícia a todos. Neste domingo, 30 de março, um ônibus da empresa Expresso Maringá atropelou um vovô no bairro Alto da Glória. O vovô estava atravessando a rua, mas foi atropelado antes de chegar ao final.

Ônibus que atropelou idoso

Ônibus que atropelou idoso

Moradores do local afirmam que o idoso era conhecido na região: “ele já tinha mais de 100 anos e seu maior orgulho era o filho Alex, de 60” – afirma uma entrevistada que conhecia o senhor. “Entretanto, nos últimos tempos ele andava meio chateado com o filho, que andou dizendo que seu pai era uma merda e não passava de um pai meia boca” – diz. Segundo a entrevistada, ainda, o filho escreveu uma carta ao pai a menos de um mês atrás reclamando da mesada estar atrasada.

Notícias relacionadas:

– Idoso estava reformando sua casa com ajuda de amigos sob promessa de que eles nunca o abandonariam

– Poucos amigos estiveram presentes no enterro do idoso

– Filho do idoso também não apareceu no enterro: “calendário está apertado”, afirma

Outras testemunhas também disseram que o idoso tinha problemas de visão, o que pode ter causado o acidente. “Quando ele ia atravessar a rua, sempre precisava de ajuda do seu cão-guia, Heber, pra chegar até o final” – disseram. “Sem ajuda dele, acabou ficando no meio do caminho”.

Anúncios

A redação

Neste dia 08 de Dezembro de 2013, o Coritiba entra em campo mais uma vez para fazer história. O clube vai buscar o penta-rebaixamento de sua história em partida contra o São Paulo. Em um dia tão especial, a torcida do coxa apenas lamenta por ter que ir decidir a classificação para a série B longe de casa.

Torcida que nunca abandona levou 5 ônibus de torcedores para Itú

Torcida que nunca abandona levou 5 ônibus de torcedores para Itú

“Já estávamos tão acostumados a disputar o rebaixamento em casa que esse ano ficou um gosto ruim” – afirma um torcedor do verdão. Apesar disso, a torcida promete invadir o estádio de Itú, literalmente, caso o clube conquiste a tão sonhada vaga. A organizada do Coritiba está levando 5 ônibus repletos de paus e pedras para fazer o novo Green Hell Porradológico.

Notícias relacionadas:

– Caso seja penta-rebaixado, Coritiba pode entrar no Guinness Book – 2nd Edition

– Keirrison exercita memória e relembra último jogo em Itú, no qual marcou o gol da vitória sobre o Ituano

– Keirrison lesiona o menisco enquanto exercitava memória e está fora da partida contra o São Paulo

Apesar da falta que o estádio Couto Pereira faz para o time num jogo decisivo como o de hoje, o clube armou uma estrutura para a torcida acompanhar o jogo direto do majestoso e se sentir em casa. Será montado um telão dentro do estádio e haverá apresentações das banda 100% Paraíba, Skank e da cantora Cláudia Leitte. Também haverá barracas de brincadeiras como malhação de judas com uniforme da PM e dança das cadeiras arrancadas do próprio estádio. Também haverá o lançamento da nova campanha de marketing intitulada “Coritiba: nós destruímos”, na qual os torcedores poderão quebrar partes do novo setor pro-tork.

O plano não pode parar

Novembro 3, 2011

Luziano Micozzini

Lembro-me de quando era mais novo e mais atuante no nosso futebol paranaense. Acordava cedo, desjejum pronto pela Donna, e partia com meus colegas de ofício, para as tribunas dos grandes estádios da nossa capital. Comia canapés de qualidade que nem os maiores chefs do mundo poderiam fazer e tinha a minha disposição qualquer bebida feita por um Barman especializado.

A cozinha dos torcedores também não se poderia reclamar, um delicioso chivito à moda do chef que era tão bom que sabe deus quais ingredientes ele colocava nesta iguaria.

Quanto a estrutura nada posso reclamar, na verdade merece meus elogios, isso sim. Bancos confortáveis e acolchoados, óptima visão do jogo, e ao mesmo tempo perto da massa. Podia ver sempre o torcedor apaixonado com sua bandeira e camisa, e com seu papel picado. Sentia-o tremer à qualquer grito. Era um organismo vivo, pois posso jurar que já senti suas lágrimas pelas paredes nas derrotas, ou seu suor guerreiro nas vitórias.

No Campo 22 gladiadores davam um espetáculo à parte, dignos do nosso futebol paranaense. Cada jogo era uma batalha que representava o orgulho de ser paranaense e fazer parte do espetáculo.

Orgulho ferido hoje em dia.

Nossos esforços, aparentemente deram em nada. Como escrevi na semana passada, nosso plano era trazer isso à tona e sensibilizar aqueles que ridicularizam o suado dinheiro que lutamos pra conseguir e contribuir ao estado a parar com esse assassinato da nossa cultura. Nada daquilo que eu vivi com tanto orgulho está sendo levado em conta pros nossos representantes que estão encabeçando o movimento para transformar nossa capital na sede da copa do mundo. Pois como bem lembra meu querido amigo Veridiano Milico (conhecido como Verí) “A copa vai embora, mas o que for feito será para eternidade, e teremos que encarar isso para todo o sempre”.

O descaso com a nossa história e com nosso futebol é cristalino e revoltante. Ignorar nosso passado é andar pra trás! Modernizar com nosso rico dinheirinho algo que só beneficiará apenas uma pequena, quase que insignificante parcela do nosso futebol? E ainda por cima com um trabalho que nasce errado e vem sendo feito da pior maneira possível. Estou ficando preocupado.

Meu único alento é que não sou o único que está insatisfeito com essa barbaridade. Um artigo muito bem escrito por Ana Luzia Mikos, a escritora e musa, consegue mostrar que uma considerável parcela do nosso estado está tão insatisfeita como eu. Está insatisfeita por que perdemos a Copa das Confederações, está insatisfeita por que tudo vai de mal a pior. De todos os 514 paranaenses entrevistados, curiosamente apenas os torcedores de uma mesma agremiação parecem concordar com esse vexame.

E esses torcedores, movidos pela paixão, podem decidir isso dessa maneira? Convencer nossos representantes do estado? Eu digo que NÃO! Não podemos abandonar agora a luta. Independente da puxada de tapete inesperada do Sr. Presidente da FPF, O investidor não irá desistir, irá fazer o que é certo.  Tenho certeza disso.

Não podemos aceitar tudo isso de mãos atadas. É o nosso Estado que está em jogo, nossa reputação e orgulho! Por isso eu te pergunto amigo leitor: Você irá desistir agora? Depois de tudo que estamos conseguindo expor nesta incansável luta pela isonomia? Os veículos de comunicação estão com a gente.

A hora é agora e eu não irei abandonar. E você?

(Curitibano da gema, com descendência italiana. Apaixonado por uma época que não volta mais do futebol paranaense, atualmente dedica seu tempo a descobrir a melhor harmonia do vinho que toma com cada refeição. Com amigos mais do que especiais, e nunca distante do que acontece na imprensa e no nosso esporte, Luziano, a convite do professor Zelindo, não conseguiu recusar em  participar deste novo projeto que combate a visão distorcida que está traçando o  futuro do Futebol paranaense)