A redação

A nação coxa-branca está de luto. Após uma entrevista polêmica para a revista Placar (http://placar.abril.com.br/turco/fenerbahce/alex-fenerbahce/entrevistas/idolo-eu.html), Alex – que já jogou no Coritiba – fez declarações depreciativas a respeito do verdão e disse não se sentir um ídolo do coxa, pra tristeza e decepção dos torcedores que esperavam a sua volta messiânica.

Alex: foi pra Turquia e ficou retardado mental

Alguns torcedores se pronunciaram, mesmo em meio ao momento de tristeza: “Pra mim ele continua sendo um ídolo. Conquistou vários títulos aqui, como por exemplo, o… éééé… teve… vários.” – afirmou um torcedor do alvinegro. “Manchou toda sua história vitoriosa por aqui. Ainda bem que o K9 está voltando pra mostrar o que é ser um ídolo de verdade.” – disse outro torcedor mais exaltado enquanto queimava seu álbum de figurinhas do campeonato brasileiro de 1996 com a figurinha do Alex.

Notícias relacionadas:

– Torcedores que faziam vigília pela volta de Alex desde 1998 finalmente deixam o Aeroporto Afonso Pena

– Torcida entra pro guinness como “maior número de pessoas a idolatrarem um cara que caga e anda pra eles no mundo”

-Torcida inicia movimento “O Tcheco já jogou aqui, sabia?” para quando Tcheco se aposentar

O elenco do Coritiba também se manifestou a respeito das declarações do ex-ídolo alviverde. “Azar o dele se não quer voltar… Estávamos preparando uma recepção com abraços e beijos acidentais” – afirma o zagueiro D4. “Com o Alex eu pretendia montar um esquema altamente ofensivo com 6 jogadores no meio de campo. Ia contribuir muito na busca pelos empates.” – disse Marcelo Oliveira. Especula-se também que as declarações de Alex de que o clube é uma merda não passam de uma estratégia de marketing do Coritiba pra fazer moral com seu novo investidor estatal – a Sanepar, conforme o Investidor Estrangeiro® já relatou anteriormente.

Anúncios

Por Bill Rock

Olá, amigos do site Investidor Estrangeiro!

Na rodada do meio de semana não pude escrever para vocês, pois estive muito envolvido nos festejos fora de época em Curitiba. Depois de comemorar a páscoa fora de época com a ressurreição de Alex, o título do segundo turno do Paranaense fora de época conquistado pelo Coritiba logo na primeira rodada (pois é claro que o Atlético não irá mais alcançar o alvinegro) e o ano novo fora de época na Praça da Espanha, pouco me sobrou tempo pra escrever, mas aqui estou neste domingo pra comentar a segunda rodada do segundo turno, do segundo campeonato seguido em que o coxa até agora está invicto. Nada mais justo, então, do que analisarmos o jogo do Botafogo Coritiba.

A partida começou muito quente, sob um sol quente, e um clima quente de decisão em campo. O Coritiba só dependia de si pra chegar ao recorde de 964 empates numa única edição do Campeonato Paranaense. O Corinthians queria atrapalhar a festa e o jogo foi muito marcado e sem grandes emoções até os 30 minutos, quando o meia Tcheco cobrou falta com perfeição na cabeça de Pereira, que só teve o trabalho de desviar pro fundo das redes. Um golaço de jogada trabalhada mostrando toda a coletividade do verdão. Alguns minutos depois, em mais uma linda jogada repleta de trocas de passes envolventes, Tcheco chuveirou mais uma vez na área e desta vez quem estava lá pra conferir era o zagueiro Emerson. Golaço. Pouco antes do fim do primeiro tempo, porém, Bruno Batata recebeu em posição claramente irregular e descontou para o Corinthians. O tira teima mostrou que o jogador estava aproximadamente na entrada do Parque Barigui, portanto muito adiantado em relação ao zagueiro. Falha grave da arbitragem, e assim se encerrou o primeiro tempo.

No segundo tempo, o técnico Marcelo Oliveira esporreou geral seus jogadores e promoveu alterações em busca de garantir o empate. As alterações foram boas e o Corinthians passou a dominar completamente as ações do jogo, sem conseguir, entretanto, marcar um gol.

Por volta dos 40 minutos do segundo tempo, Pereira chamou a responsabilidade de garantir o empate e deu uma tesoura na carótida do jogador do Corinthians Paranaense dentro da área. Apesar da quantidade de sangue espalhada no chão, o juiz – que também é legista do IML – pareceu não ficar impressionado e mandou o jogo seguir, prejudicando mais uma vez o alvinegro. Fim de jogo, vitória coxa-branca e frustração do aniversariante Marcelo Oliveira pelo resultado.

"Hoje não empatemo" 😦

Ele está voltando!

Fevereiro 29, 2012

A redação

Finalmente, após uma semana conturbada e forrada apenas com manchetes ruins estampando os jornais, o futebol paranaense pode comemorar. E a boa nova da semana futebolística vem em grande estilo. Segundo o site turco http://www.lujinhadosalim.tu, o maior sonho da torcida alvinegra se tornará realidade em breve: Alex, o Messias, está voltando!

Alex está de volta, graças a gestão divina de VRA

A volta de Alex não era esperada nem pelos mais fanáticos torcedores do clube, mas há uma explicação bíblica pra isso. Em Marcos, capítulo 13, versículo 32 está escrito: “Mas a respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai”. Ora, fica claro por este trecho que apenas Vilson Ribeiro tinha esta informação e a estava guardando para anunciar quando o futebol paranaense estivesse passando por um momento de trevas. As festividades para recebimento do Messias Alex também estão profetizadas na bíblia em Pedro capítulo 3, triciclos 10-12: “Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados”, deixando claro que será uma grande festa onde a torcida alviverde vai atear fogo em tudo e fazer muito barulho quebrando o estádio e partindo pra cima da polícia.

Notícias relacionadas:

– Maria Madalena, esposa de Alex, estaria procurando casa em Curitiba

– Maria Madalena é apedrejada por fanáticos religiosos da Igreja Quadrangular do Triângulo Redondo Hexagonal do Pentagrama do Cramunhão Mário Celso Petraglia

– Fábricas de ovos de páscoa são surpreendidas com ressurreição prematura de Alex e nova páscoa terá déficit de chocolate nas prateleiras

A volta de Alex começa a agitar a comunidade devota. Na igreja em frente ao Couto Pereira, fiéis já se aglomeram e estocam seus papéis higiênicos para atirarem na chegada d’O Messias. Outros crentes já compraram pisca-pisca nas cores verde, branca, preta e laranja para promover o primeiro Green Heaven da história do coxa.