Leonardo Mente Júnior

“O Coritiba precisaria sair de um ativo de R$ 150 milhões para R$ 400 milhões de receita anual. Se não for assim, não interessa”.

Impressionante e polêmica a declaração do vice-presidente do Coritiba, Vilsaço Carai de Aço ao jornalista Leonardo Mente Junior, ao se esquivar de perguntas sobre o novo estádio, que a diretoria do Clube estaria negociando com um investidor estrangeiro.

Nossa produção conseguiu rápida entrevista com o mandatário nazi-verde (na sala de embarque do Aeroporto Afonso Pena, antes de embarcar à Turquia para repatriar o ídolo Alex), para que explicasse a fórmula pela qual a receita do clube aumentará 175% com o auxílio do investidor estrangeiro.

LMJ: Vilsão, por favor, esclareça à noss… digo, torcida do verdão a engenharia financeira ajustada com o investidor estrangeiro.
Vilsão: É simples. Faremos muito dinheiro. Nosso investidor não deseja revelar o segredo, mas posso adiantar que será uma revolução no mundo da macro-micro-média-economia-financeira-aplicada.

LMJ: E por revolução, o Sr. quer dizer…
Vilsão: Revolução, mesmo… coisa nova, inédita, entendeu?

LMJ: Para ser franco, ainda não…
Vilsão: Bem, em poucas palavras e sem revelar detalhes, só posso dizer que contratamos John Forbes Nash (interpretado por Russel Crowe no filme Uma Mente Brilhante), para aplicar sua Teoria do Equilibrium no futebol. Aos 83 anos, ele ainda tem o CÉLEBRO de um piá universitário andando de Ligeirinho.

LMJ: Conte mais, conte mais…
Vilsão: John Nash nos procurou na segunda-feira após o nosso mais recente rebaixamento, quando a PM invadiu o Tremendão e tentou matar a torcida que nunca abandona. Ele disse que aquela situação era tão caótica, que poderia servir para sua tese de pós-doutorado-plus na universidade de Washington-Princeton, Alabama, HWAII5.0.

LMJ: Mas o Coxa deve ter ficado surpreso com o interesse de um ganhador do Prêmio Nobel…
Vilsão: Sem querer desmerecer o Nash, que é um gênio, mas ele era o nosso plano C.

LMJ: Como assim? Quem eram Plano A e Plano B?
Vilsão: Todos sabem que negociamos com o Petraglia a Arena ATLE-tiba… bem, eu prefiro chamar de Arena CORI-ético…. é melhor para o marketing…. mas voltando ao assunto, a torcida do Atrético não aceitou e congelamos as tratativas. O plano B, cujo nome não posso revelar em virtude de recente falecimento, não pôde prosseguir por conta de um câncer de pâncreas. Mas era um gênio da informática.

LMJ: E quanto ao novo estádio, se Grêmio, Palmeiras e Inter-RS, times grandes, tiveram de se render às construtoras, dividindo grande parte das receitas dos novos estádios, qual a mágica utilizada pelo Coritiba para ficar com praticamente toda a receita?
Vilsão (já embarcando no vôo 171 da Emirates): Foi simples, Léo. Dissemos um sonoro NÃO, coisa que os ditos times grandes não tiveram a coragem de fazer…. eles também não têm coragem de matar PM’s, nem de ir aos jogos no Couto, com medo da arquibancada ceder…. Enfim, ser coxa-branca é, como diz nosso ídolo Ricky Martin: Living la vida loca.

Anúncios

Planejamento Financeiro 2012

Outubro 11, 2011

Por Leonardo Mente Junior

Financeiramente, 2012 promete ser um ano sem precedentes na história da Coritilônia.
Nem nos ânus anos de ouro, quando Evangelino (guru do Petraglia) montava máquinas que ganhavam campeonatos nacionais com saldo de gols negativo, o cenário era tão positivo.
Na Globo, nossa cota de TV alcança a marca de R$ 43.000.000,00 mensais, (fora PPV). Além disso, já temos acertado com a RPC R$ 3.000.000,00 por jogo do Campeonato Paranaense.
A parceria firmada com a OAS (na verdade, um investidor estrangeiro anônimo) que construirá a ARENA ISONOMIA totalmente de graça para nós e pagando todas as despesas do Tremendão, vai de vento em popa e temos tudo para montar um time forte, repatriando ídolos como Alex, Liedson, Alex, Aristizábal, Alex, Marciano e Alex.
Quem sabe, possamos ganhar a Libertadores e inscrever Dida no Mundial, numa sensacional e lucrativa jogada de marketing. De quebra, podemos tirar dos púdols o Top of Mind!
Também está em estudos a criação do Departamento de Valores Mobiliários da Colônia-nazi-verde, com a abertura de capital a acionistas nacionais, a fim de ampliar a origem de nossos investidores. O nome do papel coxa-branca na Bolsa de Valores ainda é segredo, mas uma fonte de águas de Lindóia adiantou que será votada pelos sócios entre as opções COCO1 e COCO2.
Enfim, Colônia, 2012 é nossa chance de conseguir vaga na Sulamericana em dois consecutivos e nada impede que consigamos passar da primeira fase de um campeonato internacional.
Afinal, se até o Paraná Clube já fez isso na Libertadores, nós podemos.