A redação

Diante da absurda tentativa da prefeitura de Curitiba de ceder ainda mais títulos de Potencial Construtivo para o Atlético, os vereadores da Câmara Municipal sabiamente decidiram adiar a votação para terem tempo de entender melhor este artifício antes de tomar qualquer atitude. O site Investidor Estrangeiro decidiu então facilitar o entendimento e elaborar uma matéria elucidativa sobre o tema, para não deixar qualquer dúvida de que o Atlético está sendo beneficiado.

Imaginem um terreno grande situado numa região privilegiada, como, por exemplo, o CT da Vila Zumbi. Neste terreno há espaço para construir vários prédios de muitos andares, mas o dono do terreno opta por apenas por construir um departamento médico para o K9 ter onde tratar a patinha lesionada.

Casinha do K9

Agora imaginem outro terreno menor, numa região mais central da cidade. O terreno do Couto Pereira, por exemplo. O dono deste terreno resolve construir, então, um Novo Couto, com 12 anéis. Porém, a lei de zoneamento local só permite que sejam construídos prédios com 2 anéis e meio.

Como resolver esta situação?

Simples: através do Potencial Construtivo.

O dono do terreno que quer construir um Novo Couto compra (com dinheiro próprio ou de um Investidor Estrangeiro) da prefeitura títulos de potencial construtivo oriundos de outro terreno pouco aproveitado (o CT da Vila Zumbi, no nosso exemplo didático). Esses títulos permitem que o construtor do Novo Couto construa um prédio maior do que a lei de zoneamento local permite e, assim, pode tirar seu sonho do papel.

A prefeitura, então, investe o dinheiro do potencial construtivo vendido ao dono do terreno do Couto Pereira em obras de caridade, creches, hospitais e restaurantes populares… Ou estádios de futebol.

Ou seja, traduzindo esta explicação em poucas palavras: a prefeitura está tirando dinheiro da educação, da saúde, da sociedade e até do Coritiba para ajudar o Atlético.

Esperamos que com este post elucidativo e isonômico tenha ficado mais fácil a compreensão por parte dos vereadores de Curitiba.

Anúncios

A redação

“O mundo já está do avesso” – diziam os poetas Tião Carreiro e Pardinho. E não poderiam estar mais certos. Numa demonstração clara de falta de bom senso e coerência, a FIFA não colocou em sua relação de Centros de Treinamento pré-selecionados para a Copa do Mundo 2014 nem o Estádio Couto Pereira, nem o CT da Vila Zumbi, quiçá o futuro CT mais moderno do Brasil em Campina Grande do Sul – todos os patrimônios pertencentes ao Coritiba.

Reformas no muro do CT do Coritiba não foram o suficiente para agradar a FIFA

“Ficamos profundamente decepcionados com a lista da FIFA” – disse o presidente do Coritiba, VRA. “Mesmo depois de todos os nossos esforços com a construção do novo muro do CT da Vila Zumbi a instituição não nos contemplou” – afirmou visivelmente chateado. “E não há pretexto algum com relação à falta de estrutura, pois próximo do CT temos opções de lazer (com a mesa de isnuqui do Boteco do Tição), gastronomia (com os rollmops do Boteco do Tição) e hospedagem (debaixo do toldo do Boteco do Tição)” – finalizou.

 Notícias relacionadas:

– Coritiba entra para o Guinness como “o time com mais patrimônio inútil e menosprezado do mundo”;

– Tição diz estar se preparando para a Copa “vou alugar outra mesa de isnuqui, daquelas vermeiona com um lampião em riba”;

– Investidor estrangeiro deve construir aeroporto na Vila Zumbi para viabilizar o CT do Coritiba como sede

 Segundo especialistas, porém, não há motivo para desespero, pois a lista dos CTs ainda será reformulada até o final de 2013. Na próxima avaliação da FIFA haverá critérios qualitativos que poderão beneficiar o patrimônio coxa-branca, como por exemplo “proximidade de áreas onde há forte tráfico de entorpecentes” (o que renderia uma nota 10 ao CT da Vila Zumbi), “isolamento da civilização judaico-cristã-ortodoxa para propiciar maior tranquilidade aos atletas” (nota 11 para o CT de Campina Grande do Sul) e “histórico de confrontos armados com mortes de civis e militares” (nota 981231263987126385123756 para o Couto Pereira).

A redação

O Campeonato Paranaense teve seu primeiro turno findado no domingo de maneira melancólica e inesperada, com o Atlético campeão mesmo com o favoritismo coxa-branca. Pois nem começou a segunda etapa do campeonato e a FPF já começou a escancarar sua torcida para o time da Baixada quebrar o jejum de títulos. Em uma manobra de favorecimento ao Atlético, a Federação colocou o clube numa sequência de jogos em Curitiba, o que facilitará muito a vida dos jogadores atleticanos, que não terão de viajar longas distâncias até Paranaguá, Ponta Grossa e outras cidades que ficam a mais de cinco mil quilômetros de distância de Curitiba.

Atlético no segundo turno do Paranaense: folga e mordomia

A maracutaia da Federação não teria sido publicada por nós se o Coritiba tivesse sido campeão do primeiro turno só foi percebida agora pela imprensa e pela diretoria do verdão, que já se manifestou a respeito do favorecimento através do presidente VRA: “Já está bem claro, com todos os recentes ‘erros’ de arbitragem contra o Coritiba, quem a Federação quer que seja campeão” – afirma o presidente. “Por sorte, nossos jogadores já estão acostumados com fusos-horários adversos, já que fizemos nossa pré-temporada em Foz do Iguaçú”.

Notícias relacionadas:

– Coritiba ganha liminar no TJD que garante isonomia na reta final: verdão jogará 5 partidas em Curitiba

– Torcedores do Coritiba comemoram a liminar quebrando o estádio e torturando policiais e verdão perde 5 mandos de jogo na reta final

O Investidor apurou ainda algo mais preocupante para a nação alviverde. Não apenas o Atlético é beneficiado, mas o Coritiba é o clube que mais viajou neste campeonato. A distância do CT da Vila Zumbi até a primeira civilização cristã ortodoxa mais próxima é de aproximadamente 500 km, o que coloca o Coritiba no Guinness como “time com CT mais na casa do caralho do mundo”. A marca histórica será comemorada no dia da inauguração do CT de Campina Grande do Sul e, por conseqüência, no dia em que o Coritiba baterá seu próprio recorde.