A redação

A boa fase vivida pelo futebol paranaense parece ter acabado. Além do Coritiba ter perdido sua invencibilidade no final de semana e ter visto o rival Atlético encostar na tabela, agora a crônica esportiva está prestes a perder um de seus nomes mais importantes devido a acusações injustas de assédio sexual.

O jornalista Arilton Bezerro, comentarista da Transamarketing Pop e colunista da Gazeta do Porco foi vítima de um conluio entre Mario Celso Petraglia e a imprensa rubro-negra. Agora enfrenta sozinho uma luta pela sua honra.

Arilton em um dia normal de trabalho

Arilton em um dia normal de trabalho

O Investidor Estrangeiro, adepto do jornalismo desprendido de parcialidade, concedeu ao jornalista a oportunidade de se defender das acusações. Enviamos nossa repórter Joice Quervara para entrevistar o ícone da moral e dos bons costumes:

JQ: boa noite, senhor Arilton.

AB: melhor agora…

JQ: como você recebeu as notícias de que estaria supostamente assediando colegas de trabalho?

AB: estava nos Estados Unidos comemorando 50 anos de casado. Minha amante me entregou o jornal e eu mal acreditei no que via. Tive que ligar pra minha mulher, que estava no Brasil, pra explicar a situação. Falando nisso, você conhece os Estados Unidos? Precisamos ira pra lá um dia. Você ia adorar!

JQ: e como você classifica essas acusações?

AB: isso é uma calúnia. Eu tenho condições de provar isso. Tenho provas materiais na minha casa de que isso é uma injustiça. Inclusive convido você pra ir à minha casa hoje a noite pra eu mostrar o material.

JQ: você acredita que o Petraglia esteja envolvido nisso?

AB: sem dúvida. Sempre fui defensor da moral e dos bons costumes e desde o começo fui contra a construção de uma arena particular com dinheiro público… Aliás, falando em dinheiro, olhe só! Acabei de achar 100 reais aqui no meu bolso! Gostaria de tomar alguma coisa comigo? Sei lá, um banho…

JQ: não, obrigado. Gostaria de fazer apenas uma última pergunta.

AB: diga, querida.

JQ: poderia tirar a mão da minha bunda, por gentileza?

Notícias relacionadas:

– Arilton é condenado a 10 anos de prisão, injustamente

– Arilton mais uma vez colabora com o crescimento do futebol paranaense costurando bolas em Piraquara sem cobrar nada

– Presidiário acusado de estuprar cronista diz: “eu só sorri pra ele”

Anúncios