Por Bill Rock

Olá, amigos do Investidor!

Devido à rodada atípica que tivemos neste meio de semana, creio que eu tenho o dever moral de comentar não o jogo da TV, mas a partida entre Coritiba e Londrina, que foi recheada de polêmicas e erros de arbitragem. Aproveitando também que não há muitas coisas pra falar sobre a partida do Atlético, que venceu jogando um futebol burocrático, creio que seja melhor comentar a goleada alvinegra sobre o tubarão.

Em partida repleta de cheatings de Super Nintendo, Roman (próximo à linha de fundo) falhou na parte disciplinar

A partida começou muito disputada no meio de campo, já que Marcelo Oliveira implantou um ferrolho defensivo a fim de garantir o empate. Os 3 volantes do Coritiba, Gil, Tcheco e Willian, cadenciavam o jogo administrando o 0 x 0 desde o começo da partida. A equipe do Londrina, que não preza pela isonomia, partiu pra cima buscando a vitória. Aos 17 minutos, a primeira polêmica do jogo: após cruzamento na área do Coritiba, o jogador do Londrina dá uma pentada violentada na carótida do jogador coxa branca e cabeceia pro gol. No rebote de Vanderlei, o Londrina marca o gol, corretamente anulado pelo juiz Roman aquele que foi reprovado no exame da FIFA por estar gordo. Porém o juiz falhou no aspecto disciplinar, já que na regra do futebol falta por trás no último homem deve ser punida com cartão vermelho.

Já no fim da primeira etapa, Roman agiu corretamente e aplicou cartão vermelho direto pro jogador Thiago Santos do Londrina, que deu um golpe de MMA em Tcheco. E o placar ficou mesmo em 0 x 0.

No segundo tempo, o técnico Marcelo Oliveira mudou o time e prejudicou o Coritiba na busca pelo empate, pois logo aos 5 minutos o time alviverde fez o gol. O volante Gil cruzou na área para Roberto, que deu um carrinho maravilhoso na bola e marcou seu primeiro gol com a camisa alviverde. Menos de 10 minutos depois, outra polêmica: o jogador do Londrina cobra um escanteio usando cheating de International Superstar Soccer e marca um gol olímpico. O bandeira marcou corretamente a irregularidade e o gol foi anulado, mas novamente houve a boa vontade de Roman em não aplicar o cartão vermelho por uso de trapaças de Super Nintendo.

A partir daí, nada mais aconteceu. Placar de 1 x 0 e Coritiba rumo à liderança.

Anúncios

Por Bill Rock

Olá, amigos do Investidor!

Tristeza, decepção, mágoa. Estas são algumas das palavras que podem definir o embate deste fim de semana entre Arapongas e Coritiba. O melancólico placar de 2 x 0 para o time da casa encerrou uma série vitoriosa e empatoriosa de mais de 40 jogos do alviverde no Paranaense.

Héber - Perdendo o respeito dos bróder

O jogo já começou, pra variar, com um erro grosseiro do árbitro Héber Roberto Lopes. Após quebrar a coluna de 3 zagueiros do Coritiba, o atacante Thiago Adams do Arapongas fez o primeiro gol do jogo. Ignorando as lesões sérias causadas pelo centro avante, o árbitro sequer o puniu com cartão amarelo e prejudicou o alvinegro.  A falha de Héber desestruturou psicologicamente a equipe do Coritiba, que está acostumada com o favorecimento do árbitro. A partir daí a equipe coxa se organizou em campo e partiu pra cima levando perigo, com o ataque fortalecido pela presença de Anderson Aquino, artilheiro do futebol da Geórgia que voltou de lesão. Apesar da pressão, o time coxa-branca não conseguiu chegar ao sonhado empate no primeiro tempo, e o placar parcial era de vitória para o Arapongas.

No segundo tempo o técnico Marcelo Oliveira voltou sedento pelo empate, colocando em campo o lateral Eltinho e o maratonista angolano Geraldo. As alterações surtiram efeito e o Coritiba melhorou no jogo. Geraldo cumpriu sua função tática de correr de um lado pro outro igual uma galinha degolada e entrou pro Guinness como “jogador a causar mais crises de labirintite em quem está assistindo o jogo do mundo”.

Apesar da melhora do coxa, o árbitro Héber Roberto Lopes mais uma vez magoou o coração alvinegro ao expulsar Emerson quando o jogo se encaminhava para o empate. Logo após, ainda sentindo o baque da traição, Pereira falhou e o Arapongas ampliou o placar.

O Coritiba ainda brigou, mas já não havia tempo para reverter o placar. Final de partida com derrota coxa-branca, simbolizando o fim de uma era no campeonato paranaense.

Marcadas para sumir

Março 24, 2012

A redação

Apesar da destruição (porque nada ainda foi construído) da Arena da Baixada seguir em velocidade baixa, o Atlético não pára de infernizar a sociedade. Agora o clube rubro-negro decidiu não só exibir sua “autoridade” sobre o entorno do estádio como também resolveu tirar onda com os moradores das casas que serão desapropriadas impiedosamente.

Tirando onda: Atlético menospreza vizinhos com ajuda da prefeitura

As marcas deixadas pelos vândalos atleticanos geraram uma onda de protestos entre os vizinhos. O senhor Wilson, morador de rua que dorme na Brasílio Itiberê, disse que não acreditou quando acordou nesta manhã e viu uma pichação em seu cobertor: “isso é um absurdo. Vou juntar meus trapos e me mudar pra Joinville.” – afirma o cidadão.

Notícias relacionadas:

– Vândalos que picharam as paredes são os mesmos que alugaram um caminhão pra destruir a própria Arena

– Em iniciativa pioneira, diretoria do Coritiba manda grafitar casas do entorno do Couto com imagens de Jesus

– Vote para escolher qual será o filme de amanhã no Intercine: “Marcadas para sumir” ou “K9, um policial bom pra cachorro”

Apesar de estar tirando onda da população, a diretoria do Atlético teve que agüentar durante esta semana as duras críticas do TCU, que divulgou um relatório que aponta claramente o atraso da obra em relação aos outros estádios do país. Segundo o Tribunal, a obra da Arena está apenas 8,5% concluída. Matemáticos e estatísticos profissionais do Investidor Estrangeiro fizeram as contas que mostram que 8,5% de 30% do estádio que ainda faltam concluir resultam num total de 120% faltante da construção total do estádio. Ou seja, a inauguração da Arena deve ocorrer apenas em 2018, inviabilizando a Copa do Mundo no estádio e abrindo espaço para o Novo Couto se firmar com a opção mais líquida sólida para o evento.

A ®edação

O Coritiba está muito próximo de fechar um novo contrato de patrocínio do seu estádio, na modalidade conhecida como ‘naming rights’. Os detalhes da negociação vazaram após uma entrevista de uma das partes em um programa de televisão.

Durante o programa Corujão do Esporte, da rede Globo, o cantor Erasmo Carlos adiantou a campanha de marketing que irá tomar conta de Curitiba, do Paraná e do Brasil nas próximas semanas. Em uma ‘sacada’ de marketing viral, o cantor antecipou o futuro slogan: “Vai lá no Erasmo Carlos, o Tremendão”, garantindo zoação espontânea mídia espontânea para o verdinho.

Após naming rights, Erasmo Carlos anunciou que vai retirar de seu repertório a música "Jonny furacão"

A equipe deste isonômico blog apurou que as negociações foram duras, envolvendo ainda outros possíveis patrocinadores de segmentos variados como papel higiênico, desinfetantes de uréia, bancos com dívidas a receber do Coritiba e outros segmentos ligados à vida do clube. “Optamos por Tremendão, pois assim já adiantamos o futuro do estádio” comentou Vilson Ribeiro de Andrade, o VRA, presidente do clube e cantor nas horas vagas, apontado por muitos como o ‘Alex’ da Jovem Guarda.

Além do estádio, outros patrimônios do clube receberão novos nomes. O estacionamento do estádio passará a se chamar ‘Calhambeque Bi-bi’, Tcheco será apelidado como “Terrível’, Girl, a cadela, será ‘Gatinha Manhosa’, o Green Hell virará ‘Festa de Arromba’ e a campanha para o novo estádio será batizada como ‘Pega na Mentira’ . Tudo em homenagem ao novo garoto propaganda. “Pode vir quente que estamos fervendo”, comemora VRA.

Notícias relacionadas:

 – “Vamos fugir” será a música tema do próximo rebaixamento do Coritiba, em homenagem aos policiais do gramado

– Novo CT do Coritiba em Campina Grande do Sul também já tem naming rights: “CT Além do Horizonte”

– “Sigo incendiando bem contente e feliz” diz torcedor do Coritiba ao acender pisca-pisca

A ação inovadora do departamento de marketing do Verdão continua o planejamento de marketing cultural iniciado em 2009. Naquele ano, o alviverde exibiu os nomes da dupla sertaneja Maria Cecilia e Rodolfo como patrocinadora master dos calções, foi alvo de chacota  anunciou e depois cancelou os shows da cantora Claudia Leite e do grupo Skank em troca de nada patrocínio master de camisa e  anunciou por fim o espetáculo artístico cultural da banda 100% Paraíba.

Por Bill Rock

Olá, amigos do Investidor! Eu estava com saudades de escrever pra cá, mas estive envolvido com as festividades da volta do K9 e mandei-o para banho e tosa no Pet Shop do Angeloni. Tive alguns imprevistos, pois ele voltou de lá com a patinha quebrada, mas colocamos uma prótese de uma perna de pau e ficou até melhor do que antes.

Mas isso são águas passadas. Vamos ao que interessa que é a análise do último jogo do Atlético contra o lanterna do returno, Roma.

Estádio de Roma assistiu o Atlético cair perante a justiça divina

O jogo foi disputado em Roma, num clima quente como se Nero tivesse incendiado o local novamente. O futebol, como se esperava, foi de baixo nível. O futuro vice-campeão do campeonato 2012 tentava jogar, mas dava de cara com uma equipe fechada solidamente na defesa, quase como gladiadores lutando bravamente. O heroísmo do time da casa, porém, foi abalado pela cara-de-pau da arbitragem, que mais uma vez favoreceu o time da baixada. Num lance dentro da área do Roma, o jogador Harrison deu uma camisada violenta no zagueiro cristão de Roma, mas o juiz inverteu os papeis e puniu os oprimidos. Pênalti descaradamente roubado. E como pênalti roubado não entra, o goleiro teve suas mãos guiadas por Jesus e defendeu a cobrança de Guerron. Porém, no rebote, tomado pelo espírito do imperador Décio, Guerron marcou o gol, para alegria da torcida atleticana que compareceu ao estádio, como os romanos compareciam ao Coliseu para ver execuções covardes.

No segundo tempo a equipe de Roma voltou melhor, mas continuava sofrendo com as investidas do time rubro-negro, que avançava com seus pontas de lança tentando derrubar o adversário. Pra tristeza dos atleticanos, porém, a justiça tarda, mas não falha, e aos 41 minutos do segundo tempo uma bola vinda dos céus aterrissou direto na cabeça do iluminado atacante de Roma, que mandou a bola pro fundo do balaio igualando a partida. Tamanha foi a frustração atleticana, que o goleiro Rodolfo agrediu deliberadamente o jogador, sob a vista grossa do árbitro que nada marcou.

Fim de jogo, 1 x 1 e Atlético praticamente sem chances de ganhar o returno, além de estar num descenso que vai culminar não só com a perda do título estadual, como também na briga contra o rebaixamento pra série C.

Oremos.

A ®edação

O atacante Keirrison, ou K9 um policial bom pra cachorro, com James Belluschi, amanhã na sessão da tarde optou por trabalhar com o melhor técnico do mundo e vice-campeão invicto do primeiro turno do campeonato paranaense, Marcelo Oliveira. O pastor alemão jogador, apontado por muitos como “o sucessor da Lassie da Guél” preferiu abrir mão de ser treinado pelo mediano Pepe Guardiola, vice campeão do ranking de técnicos de uma conceituada revista holandesa, para jogar num time com maior entrosamento e solidariedade.

"Ae, porra! Agora eu sou titular garantido" - disse Messi ao saber da saída de Keirrison

K9 deixou claro a dificuldade em marcar gols no time catalão, devido à falta de qualidade técnica de Xavi, Iniesta e Fábregas, preferindo o “Coxa Mecânica” das Araucárias com os armadores Junior Urso e William, além dos cruzamentos precisos de Jackson. O atacante também comemorou o novo parceiro de ataque: “Lá eu faria dupla apenas com um argentino baixinho que não toca a bola. Aqui, terei o gigante Marcel para tabelarmos de canela”, comentou.

 Notícias relacionadas:
– Diretoria do Coritiba promete trazer de volta Pedro Ken e Marlos pra reeditar o trio de sucesso na série B 2007

– Zagueiro Demerson não vê a hora de jogar com Keirrison “seremos a dupla K9/D4”

– Pepe Guardiola lamenta saída de Keirrison “Fica difícil o treinamento sem cones”

Negociação Histórica
Apontado pelo jornal As, da Espanha, como ‘pior contratação do Barcelona’  (http://esportes.terra.com.br/futebol/europeu/2012/noticias/0,,OI5666360-EI18003,00.html), Keirrison não escondeu o real motivo das fracas atuações. Tudo foi planejado por Vilson Ribeiro de Andrade ainda na saída do jogador. Na época, Vilson utilizou antigos dirigentes como marionetes para vender o jogador por preço de banana ao Palmeiras, que o revenderia ao Barça por um caminhão de dinheiro. K9 então seria um fiasco na Europa e no Brasil, voltando de graça ao Verdão e economizando assim 20 milhões de doláres, euros e reais. A astúcia de VRA, apontado por alguns como o ‘Alex’ das negociações, já o coloca como favorito para chefiar missão de negociação para paz entre Israel e Palestina.

A redação

Depois da marca histórica do time coxa-branca no Guinness e do título do técnico Marcelo Oliveira de melhor treinador do mundo (conforme noticiamos com exclusividade no Investidor Estrangeiro), agora é a vez de um torcedor representar o Coritiba numa disputa internacional. O lutador de MMA (do inglês, Mixed Modafuckin’ Attackthepoliceman), Alexandre Sangue-Alheio, conhecido apenas como Alexandre Sangue ou simplesmente “Alex, o messias da porradaria”, está pré-selecionado para participar do reality show TUF (The Ultimate Field-invader).

Coritiba Kid também tentou entrar no reality, mas foi desclassificado

O novo reality show está em busca de revelar novos nomes para competições internacionais de invasão de gramado (atualmente, o Brasil perdeu o posto de 1º lugar do ranking da competição para o Egito), e para isso os participantes do reality terão que enfrentar provas como salto com barreira (fosso), 50 metros rasos (também conhecida como “galeto da arquibancada até o meio do campo”), arremesso de objetos perfurantes em distância e levantamento de equipamentos de jornalistas com o intuito de agredir jornalistas.

Ciente das enormes chances de seu torcedor e sócio ser campeão, a diretoria do Coritiba já prepara uma grande festa para sua recepção. As festividades começarão com uma brincadeira de malhação de Judas (fardado). Haverá também a brincadeira de boca do palhaço, onde o palhaço é na verdade um policial e, ao invés de atirar uma bola, atiram-se pedaços de arquibancada. Por fim, o Coritiba também anunciou que promoverá o lançamento definitivo do projeto do Novo Couto, que terá a forma de um octógono, para deixar mais a vontade não só a torcida como também os juízes de MMA que apitam as partidas do verdão e não costumam punir a violência dos jogadores do coxa.

A redação

Se muitas pessoas Brasil afora achavam que a boa fase do Coritiba ano passado, bem como seus títulos e reconhecimento internacional seriam passageiros, estas pessoas se enganaram redondamente. O treinador do Coritiba, Marcelo Oliveira, recebeu esta semana o reconhecimento da imprensa holandesa como “melhor treinador de futebol do mundo”, a frente de José Mourinho e até mesmo Pepe Guardiola, do badalado Barcelona (conhecido por muitos como “o Coritiba da Catalunha”).

Os critérios de avaliação do ranking eram rigorosos. Foram analisados números de empates consecutivos, número de substituições visando empatar o jogo, número de vezes em que colocou o Tcheco no segundo tempo e número de expressões de ursinho carinhoso. O técnico do Coritiba obteve pontuação máxima em todos os critérios e faturou mais esse título pelo verdão.

Em homenagem ao treinador coxa-branca, inventor do temido “Carrossel alvinegro”, o site Investidor Estrangeiro convocou seus mestres em tática que tentaram desvendar o segredo por trás do sucesso do treinador. O resultado desta análise você confere abaixo.

Bill Rock: “O time do Coritiba joga um futebol alegre e ofensivo. O time vem tendo um entrosamento inclusive com a arbitragem, o que torna o jogo muito mais fluído e fácil de vencer pro verdão.”.

Leovegildo Madre Julio: “O Coritiba joga num esquema 9-0-1, com dois pontas bem abertos e o Marcel enfiado na área. Ou seja, na prática é um esquema 9-0-0. O treinador Marcelo Oliveira monta um inteligente sistema defensivo onde quem passar do meio de campo é punido com a morte por afogamento numa piscina de ácido sulfúrico. A disciplina é seguida a risca pelo time, que tem se mostrado obediente em campo e cumprido a meta do treinador de buscar o empate a qualquer custo. Além disso, o MO receberá em breve o reforço de Alex, que está voltando, pra poder compor um meio campo mais articulado. O meia jogará de segundo volante pra fechar a marcação pelas laterais, que são o setor menos forte do time”.

Carrossel Coxa-Branca (Clique na imagem para ampliar)

Por Roteirista Sub-12

Era uma vez uma vira-lata chamada Girl. Ela era uma cadelinha muito especial, especialmente pelo fato de não ser poodle. Não tinha pedigree e nem mesmo um dono. Sua vida era dedicada àquelas atividades típicas de um cachorro: mijar em colunas, atacar pessoas inocentes sem motivo nenhum, correr atrás de qualquer coisa que atirassem, como papéis, por exemplo.

Um belo dia, Girl foi adotada por uma família. Mas não era qualquer família. Era uma família muito unida, e também muito ouriçada. Brigava por qualquer razão. Girl se tornou a mascote desta família, que tinha na época apenas meio bilhão de membros. Ela era o xodó de todos da casa. Tinha até sua própria roupinha branca, com duas faixas horizontais na altura do peito, e com o brasão da família no meio do peito sobre as duas faixas. Eventualmente usava também suas roupinhas de passeio laranja com preto e cinza-avermelhado.

Certo dia, Guél (como era carinhosamente apelidada) acordou babando. A família a levou ao veterinário e descobriu que ela tinha raiva. Talvez fosse raiva do vizinho, que tinha um terreno enorme que estava sempre em reforma, deixando a cadelinha assustada com o barulho. Talvez fosse raiva da sua casinha velha, fedida e sem uma parte do telhado. Talvez fosse raiva de seu dono que prometia o tempo inteiro comprar uma casinha nova pra ela, mas nunca tinha dinheiro, nem conseguia emprestar de alguma boa alma, deste país ou de outro.

 Girl viu então que sua vida era infeliz e decidiu se mudar para Joinville, onde cresceu e criou forças para voltar pra sua cidade tempos depois e entrar pro Guinness como a “cadela a percorrer o maior caminho que não levou a porra nenhuma do mundo”.

 Fim.

Foto meramente ilustrativa

Por Bill Rock

Olá, amigos do site Investidor Estrangeiro!

Na rodada do meio de semana não pude escrever para vocês, pois estive muito envolvido nos festejos fora de época em Curitiba. Depois de comemorar a páscoa fora de época com a ressurreição de Alex, o título do segundo turno do Paranaense fora de época conquistado pelo Coritiba logo na primeira rodada (pois é claro que o Atlético não irá mais alcançar o alvinegro) e o ano novo fora de época na Praça da Espanha, pouco me sobrou tempo pra escrever, mas aqui estou neste domingo pra comentar a segunda rodada do segundo turno, do segundo campeonato seguido em que o coxa até agora está invicto. Nada mais justo, então, do que analisarmos o jogo do Botafogo Coritiba.

A partida começou muito quente, sob um sol quente, e um clima quente de decisão em campo. O Coritiba só dependia de si pra chegar ao recorde de 964 empates numa única edição do Campeonato Paranaense. O Corinthians queria atrapalhar a festa e o jogo foi muito marcado e sem grandes emoções até os 30 minutos, quando o meia Tcheco cobrou falta com perfeição na cabeça de Pereira, que só teve o trabalho de desviar pro fundo das redes. Um golaço de jogada trabalhada mostrando toda a coletividade do verdão. Alguns minutos depois, em mais uma linda jogada repleta de trocas de passes envolventes, Tcheco chuveirou mais uma vez na área e desta vez quem estava lá pra conferir era o zagueiro Emerson. Golaço. Pouco antes do fim do primeiro tempo, porém, Bruno Batata recebeu em posição claramente irregular e descontou para o Corinthians. O tira teima mostrou que o jogador estava aproximadamente na entrada do Parque Barigui, portanto muito adiantado em relação ao zagueiro. Falha grave da arbitragem, e assim se encerrou o primeiro tempo.

No segundo tempo, o técnico Marcelo Oliveira esporreou geral seus jogadores e promoveu alterações em busca de garantir o empate. As alterações foram boas e o Corinthians passou a dominar completamente as ações do jogo, sem conseguir, entretanto, marcar um gol.

Por volta dos 40 minutos do segundo tempo, Pereira chamou a responsabilidade de garantir o empate e deu uma tesoura na carótida do jogador do Corinthians Paranaense dentro da área. Apesar da quantidade de sangue espalhada no chão, o juiz – que também é legista do IML – pareceu não ficar impressionado e mandou o jogo seguir, prejudicando mais uma vez o alvinegro. Fim de jogo, vitória coxa-branca e frustração do aniversariante Marcelo Oliveira pelo resultado.

"Hoje não empatemo" 😦